English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

21/09/2012

Vendo Riffe Euro 130 e fato Cressi Tecnica Azul camuflado
 
Em ótimo estado!
2 elasticos 16mm
Arpão 7.1mm 2x Shark Fin
Sistema de breakaway
 

 
 
 

Fato como novo, impecável!!
5mm
Tamanho 4 (L)


 Os interessados podem contactar-me para info@bluewaterspot.com

12/06/2011

Qual o comprimento ideal dos elásticos?


Concerteza que qualquer pescador submarino já se questionou sobre o comprimento ideal dos elásticos a utilizar na sua arma, de modo a maximizar a eficácia do tiro. Eu já o fiz por diversas vezes!! Apesar de existirem algumas tabelas com comprimentos pré-defenidos para os diferentes tamanhos das armas, ficam sempre algumas dúvidas no ar.

Aqui fica um site que achei interessante e que poderá ajudar a calcular o comprimento mais adequado.


Boas caçadas a todos!

05/06/2011

Curso de Apneia AIDA Internacional

O Clube de Mergulho Livre de São Miguel em associação com a Spot Freedive vai promover duas semanas de mergulho livre na ilha de S. Miguel. O programa inclui formação, treino e uma mini-competição oficial AIDA.

Os interessados poderão obter mais informações através dos emails cmergulholivresm@gmail.com e info@spot-freedive.com

27/12/2010

História de uma GoPro

Numa pescaria de fim de tarde andava eu numa de Spielberg com a minha GoPro a tentar filmar uns lirios que andavam na zona.
Ainda à superficie avistei um que me pareceu de bom porte. Mergulhei então, um pouco até abaixo da minha cota de segurança mas não cheguei a ele, penso que estaria abaixo dos 28mt, não sei precisar mas o que é certo é que quando já vinha a subir, olho pra baixo e vejo que muitos dos meus eurozitos tinham ido pelo fundo abaixo. Não queria acreditar, a câmera tinha se soltado! Escusado será dizer que esgotei o dicionário de calão micaelense e arredores repetidamente e a bom som!
Os dias passaram, falei com alguns companheiros das garrafas mas nunca a encontraram.
Ao fim de sete semanas e já com o assunto dado por encerrado recebo um telefonema do meu amigo Nelinho da Açordiving a dizer que tinha a minha câmera.
Mal podia crer, tinha a GoPro de volta.
A câmera foi encontrada a 55mt de profundidade pelo Nelinho, o que lhe valeu uns bons patamares de descompressão. Mais uma vez, muito obrigado Nelinho!!!
Para meu espanto, a câmera voltou a trabalhar na perfeição e ainda consegui recuperar as filmagens, inclusive a derradeira descida para as profundezas como podem ver no video abaixo.

video

23/11/2010

Tubarão Branco capturado em S. Miguel


Noticía publicada no jornal Açoriano Oriental no dia 20 de Fevereiro de 1990, se não estou em erro.
Penso que foi o último exemplar desta espécie a ser capturado nas nossas águas, mais precisamente ao largo de Ponta Garça, concelho de Vila Franca do Campo.
Apesar da fama de "comedor de homens" e de ser uma espécie protegida em alguns países, não deixa de ser triste ver um animal destes sem vida, pra mais que não possui qualquer valor comercial.
NOTA: Apesar de classificado de cetáceo pelo autor, trata-se sim de um tubarão da ordem dos Lamniformes.

30/07/2010

Ainda há peixe...

O peixe este ano anda esquivo mas com alguma insistência e muita paciência por vezes consegue-se alguma coisa. E a pescaria da semana passada foi prova disso mesmo.
Estivemos na água quase quatro horas e nas primeiras duas pouco vimos para além de algumas bicudas. A certa altura e após uma dúzia de esperas entra um lirio que à primeira vista estimo em 12/13kg. Muito desconfiado mantém-se por fora e nao consigo o tiro. Já com a apneia no limite e numa tentativa do peixe se aproximar coloco a mão na máscara para tapar os olhos, método que utilizo muito para as serras.

E resultou, após alguns segundos e já quando ia iniciar a subida vejo-o nadar na minha direcção e ao passar por baixo de mim disparo - tiro certeiro na cabeça!
Depois de alguns minutos a por o material à prova lá consegui agarrar o peixe. Na balança veio a acusar 16kg!
Ficamos mais algum tempo na água mas não voltamos a ver lirios, no entanto conseguimos apanhar mais duas bicudas com 5 e 6kg, respectivamente.
No final acabou por ser um excelente dia no mar e uma óptima pescaria que serviu de alento para as próximas.
Bons mergulhos a todos e não se esqueçam que "ser selectivo é proteger o oceano!"

17/03/2010

Atuns de 100kg

O atum sempre foi um peixe que me fascinou bastante. Pela sua beleza, pelo seu porte e principalmente pela sua força e atitude, deixa qualquer pescador com o batimento cardíaco no redline.
No final do ano passado, no mês de Outubro, tive a oportunidade de acompanhar de perto esta faina. Ainda perguntei ao Mestre na véspera se poderia levar o meu material de caça mas no dia seguinte logo percebi o quanto tinha sido despropositada a minha questão e mais à frente irão perceber porquê.
Chegado o grande dia, o relógio marcava 6h da manhã e já eu estava no porto pronto para a aventura, vestindo roupa de água e de mochila às costas com o farnel e a máquina fotográfica. As previsões que apontavam para vento nordeste de 20 a 30km/h e ondulação de 1 a 2m, não eram as piores mas achei por bem levar os meus vomidrine pois nas minhas últimas viagens a Cabo Verde fartei-me de engodar a água, quase que não foi necessário o uso dos flashers. Mas disto falarei noutra altura.
Depois da azáfama habitual dos últimos preparativos lá zarpamos com o sol a espreitar por cima da linha do horizonte.
Navegamos cerca de 1 hora para sul e com o dia a começar a clarear comecei a ver outros barcos atrás de nós, como se de uma corrida se tratasse. Mas não. O spot é que já era conhecido pela frota toda. Paramos então nas 10 milhas onde já se encontravam mais alguns barcos e aguardamos. Perguntei ao Mestre porque estávamos ali parados sem colocar as linhas nem isco ao que ele respondeu que esperávamos que o peixe “levantasse”.
E assim foi, não levou 1 minuto e começo a ouvir os motores a toda a força em direcção a um pequeno bando de aves que fazia voos rasantes à superfície. Percebi de imediato porque não me aconselharam a levar o material de pesca submarina, é que mais parecia o velho ditado “30 cães a 1 osso”. Incrível, quase que colocavam os barcos por cima uns dos outros!!! Realmente era impossível alguém entrar na água com aquela agitação toda! Apanhamos 2 lindos bichos neste lance, em que um deles levou 45 minutos a ser trazido à borda do barco.
Peixes no porão e lá seguimos em nova busca. Por esta altura a ondulação crescia um pouco pois o vento também aumentara. Navegamos mais um par de horas e nenhum sinal de atuns. Foi então que o Mestre resolveu ir um pouco mais fora, até às 12 milhas.
Excelente decisão pois detectamos um novo cardume que se traduziu em mais quatro peixes enormes. Era impressionante ver a tripulação trabalhar aqueles peixes com cerca de 100kg com cabos de nylon a correr nas suas mãos sem luvas.
Fazendo um balanço, estávamos há sete horas no mar e já tínhamos seis peixes no porão.
Continuamos à procura de aves ou de algum sinal que a sonda acusasse por mais algumas horas até que demos com mais um cardume que permitiu apanhar mais quatro Patudos, os dois últimos com cerca de 120kg. Já somávamos 10 Atuns no porão e a tripulação estava orgulhosa e bem disposta, o dia ia render uns bons trocados.
Contudo, era a vez do material acusar algum desgaste. A bomba de água que permitia manter o isco vivo (chicharro e cavalinha miúda) dentro do tanque avariou e tivemos que dar a pescaria por concluída pois sem forma de manter o isco vivo era impossível apanhar os atuns.
Rumo a terra onde chegamos por volta das 19 horas, família, amigos e companheiros aguardavam curiosa e impacientemente para ver o resultado da faina. O resultado foi 10 Atuns Patudos capturados, o mais pequeno com cerca de 80kg e o maior ultrapassou os 125.
Aqui fica um pequeno vídeo com as imagens que consegui capturar mas confesso que não foi tarefa fácil. Foram 12 horas em constante balanço e posso vos dizer que no dia seguinte quando acordei, ainda tinha a sensação de balanceamento.
Queria deixar também o meu obrigado a toda a tripulação e em especial ao Mestre Weber por me ter proporcionado esta experiência.
Um bem-haja a estes homens e às gentes do mar!


09/03/2010

O nó constrictor


Nó utilizado para fixar as ogivas em dyneema ou em cabo de aço aos elásticos.

08/03/2010

Tabela de Comprimentos dos Elásticos


Comprimentos recomendados para os elásticos.

17/02/2010

Curso Apneia AIDA Internacional em S. Miguel


Realizou-se no passado mês de Setembro um curso de apneia AIDA Internacional em S. Miguel,ministrado pela Spot Freedive com o apoio do Clube Naval de Ponta Delgada.

Pesca Submarina em Santa Maria

Cameron Kirkconnell conta como salvou um amigo disparando para ele


"Date: Sun, 6 Jul 2008
Sad but rewarding story from yesterday diving. I am going to write it all out in full but am stil la bit shook up and need to help out his family in the hospital today.
Was diving in 180 ft of water with a friend Steve Bennet who is a 21 year old from Tarpon Springs. We were diving on an area of broken bottom in strong current from an anchored boat. Making one dive down and getting swept away each time before swimming back to the boat and resting to make another he dove to down and was on his way back to the surface, I watched and he looked fine and regretfully left the surface myself and headed down. I dove and while I was down at 75 ft his gun floated past me, i immediately looked around and saw my friend upside down drifting unconcious and convulsing about 60 ft away at that same depth.
With a strong current and no one else in the water and one chance I ditched my weight belt and swam hard towards him extending the gun to shoot him. I was well past my breath hold limit and knew that there was no point of us both dying but there was only this once brief glimmer of hope to even get his body. I couldn't get close enough to be confident of penetrating his meat in his leg shooting him in the fin headed for the surface and was as close as I have ever been to blacking out in my life. before the dive, by pure luck we had secured my gun to a huge fishing reel on the boat in anticipation of me shooting a 100 lb Cubera snapper which we had seen at depth.
I screamed for the boat to cut the anchor line, reel up my gun because it had Steve on it.
Suffice to say despite my yelling of orders and trying to tell them quickly that steve had drown and we were about to have to perform CPR on him they had no idea the gravity of the situation.
we pulled him to the boat and he was completely limp, bleeding from his eyes, nose, mouth and ears and was completely blue.
I put him on the back of the boat and checked his vitals immediately found a faint pulse and no breathing. From freedive and medical training, opened his airway while talking confidently and softly to him and blowing lightly across his cheeks just under his his to trigger the breathing reflex like a new born. within the first minute and just before I was going to start rescue breaths, some foamy blood leaked from the side of his mouth and i turned him on his side and supported him so as to ease the flow of fluid from his lungs.
a short while later he sputtered a bit and was able to take in what i would estimate was a 1% capacity breath.
20 seconds later he made another one and expelled more foamy blood from his mouth and nose. with each sputter he expelled more and within 10 minutes he could take about a 15% breath but was still completely unresponsive and from what i could see in a comatose state with only his body barely functioning.
The whole time we are on the radio with the coast guard and are 70 miles off shore.
After 15 minutes he started to slurr and for the first time was able to squeeze my hand slightly letting me know that he could hear me.
From there i sat him in my arms and over the next 20 minutes as we sped in as fast as the boat would go he regained more and more motor functions and was able to talk more and more. 45 minutes from the time it happened and still 55 miles off shore we rendezvous with a coast guard helicopter and airlifted him to Tampa General hospital.
He has severe lung damage but is alive and has no noticeable brain damage. He is stable and will live a lot happier having not been shot in the leg or having sunk to 180 feet never to be seen again. The best shot I have ever made!
This is the single heaviest thing that was ever happened to me or any diver I've ever talked to. Throughout the ordeal if i was looking at it from the outside i would have told anyone with a 99% certainty there was no chance he would ever regain conciousness or be able to be recovered from that depth or the fin would have stayed on or the second diver would have been able to get him or the fin dould not have split. Once in the boat... the worst sight I've ever seen. NO one should be able to live through that. the human body is an amazing thing and that he came back is a miracle.
Thank your lucky stars tonight because it is possible for everything to align perfectly and work out sometimes
Cam"

Lirio 50 kg



Recorde do mundo I.U.S.A. Marc Hado com um lirio (Seriola Dumerili)de 50Kg. Capturado no Libano em Dezembro de 2006.